sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O Mar, um Velho Amigo Meu...



Não sei quando exatamente começou minha paixão pelo mar, mas acho que foi antes de conhecê-lo. Não, eu não tive uma infância colorida pelas praias do litoral, férias de verão significavam no máximo uma visita às primas da cidade. O mar ficava do outro lado do mundo para mim: um mundo de lavouras de trigo e de soja, em meio as quais fui criada. Meus pais não tinham tempo e nem dinheiro para incluir o litoral em nossa agenda anual.

Mas eu amava o mar como se fosse um velho conhecido, não tinha dúvidas de que o primeiro contato seria, no fundo, como um reencontro. E foi... Não esqueço da imagem que se formou diante de meus olhos depois da curva, quando nosso ônibus, lotado de estudantes, alcançou a avenida beira-mar: o sol, exibido, banhava-se na água salgada, distribuindo um reflexo vermelho-alaranjado que não deixou dúvidas: eis a cor do verão! Foi paixão à primeira vista.

Depois desse, vieram muitos verões com praia, e o litoral ficou logo ali. Mas nada de praia deserta ou ilha desabitada, o meu lance é outro: gosto mesmo é do movimento! Adoro estar cercada de gente, assistir à prática livre de esportes na areia e ocasionalmente participar de alguns deles. No sábado, aderi ao futevôlei improvisado pela ala masculina, enquanto minhas amigas assistiam sentadinhas à cena – o que é isso, companheiras?! Praia pra mim é movimento, é energia, é disposição. Essa coisa de ficar deitada ao sol comigo não funciona: branquinha, mas fervilhando!

Também gosto da areia debaixo dos pés e da água pela canela. Não vou ao mar para nadar ou surfar, não encaro ondas gigantescas. E nem me fale em alto-mar, o glamour dos cruzeiros passa bem longe dos meus sonhos de consumo! Gosto de terra não apenas à vista, mas bem firme debaixo dos meus pés.

E não dispenso, por nada no mundo, a corrida na praia ao final do dia. Sou capaz de correr quilômetros, sem sequer perder o fôlego: o espetáculo diante de meus olhos renova energias a cada passo! Quando, por fim, dou por encerrado o exercício à beira-mar, subo nas dunas e despeço-me silenciosamente do meu velho amigo.

Esse é um momento sublime, é sagrado, e faço questão de estar só. Permito-me sentir o vento nos cabelos, enquanto meus olhos vagueiam até a linha do horizonte, onde céu e mar se encontram. Perfeita sensação de paz! Dispenso as palavras, até mesmo elas atrapalham nesse instante de comunhão com meu Criador, deixo-me preencher apenas por gratidão.

Por fim, levanto-me e vou embora. Sem dramas, sem lágrimas pelo fim da estação: que importa o inverno? Depois dele haverá sempre um novo e intenso verão!
Suzy Rhoden 

24 comentários:

  1. LIndo te ler e ainda mAIS NO MAR, COMO ESTOU APROVEITANDO NESSES DIAS!

    tAMBÉM NÃO FICO PARADA, NÃO TENHO VOCAÇÃO PRA FICAR AO SOL, COMO BIFE À MILANESA. SÓ ME BRONZEIO NAS CAMINHADAS...

    Beijos praianos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa do bife à milanesa, Chica, não combina com a gente, não é? Bronze só nas corridas e caminhadas... rsrsrs

    Aproveita muito o mar, minha amiga, volte cheia de fotos e de histórias pra compartilhar!!!

    ResponderExcluir
  3. Pensei em um maneira de dizer isso e não ser xingada...risos...mais aqui em Salvador é verão de janeiro a dezembro :O
    Em dias de chuva que ocorrem pouco, e sinceramente não faz frio, ir a prais com chuva é muito gostoso, a água do mar fica quentinha, deve ser porque a chuva é mais fria, a propósito sempre achei um erro da criação, com todo respeito que a chuva não é morna.


    Detesto ficar que nem frango de padaria dourando ao sol, sou branquinha e estou muito bem obrigada! Acho que ficar feito um pimentão além de prejudicial a saúde e incômodo é bizarro. Uma corzinha, uma coradinha, pra não ter cor de shopping na terra das prais é o máximo para mim.

    Amo o mar e amo praias, para andar na areia, pelo calçadão, tomar banho de mar ou só mesmo para olhar e pensar: Que coisa mais linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tina, sei bem como é o clima privilegiado dos baianos... rsrsrs
      Você não será xingada, até mesmo porque sou igualmente apaixonada por nosso inverno, adoro o clima europeu que temos aqui (no RS) nos meses de junho a agosto. Penso que nosso Criador foi muito democrático ao nos dar essa variedade, assim quem não gosta de frio sobe um pouquinho no mapa e quem curte, vem passar as férias julinas no sul :)

      Beijooo pra você!

      Excluir
  4. Suzy, suas palavras nesse texto estão impregnadas de energia, disposição, alegria, é dessa forma que a vejo. Adoraria ter essa identificação com o mar, mas, infelizmente, tenho trauma de água, na praia ela vai, no máximo, até os joelhos, rsrs. E a primeira visão do mar é sempre inesquecível mesmo, lembro-me que fiquei com a respiração ofegante diante de tamanho espetáculo da natureza. Sol só de manhãzinha e caminhadas ao fim da tarde, é dessa forma que gosto da praia, uma pena estar tão longe do litoral.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Néia! Da mesma forma que você, não sou nenhuma surfista... rsrsrs Mas amo o mar, especialmente olhar para aquele vai-e-vem infinito das ondas, depois de um dia intenso à beira da praia ;)

    Grande beijo, minha querida!

    ResponderExcluir
  6. Oi Suzy!
    O mar,também é,um velho amigo meu.
    Desde criança,sempre que tenho oportunidade,convivo com ele.
    Caminhar à beira mar e olhar a linha do horizonte,me desestressa,me encanta e renova minhas energias...
    (Cheguei da praia semana passada,e no próximo mês vou novamente!)
    Amei ler essa delícia de crônica.
    Bjs :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clau! Boa praia pra você, minha amiga, o mar é um super companheiro, não é, não???

      Beijooo

      Excluir
  7. Susy, acho que o mar é um grande amigo de muita gente. Basta que nos deparemos com ele e pronto!!! Tudo parece amenizar e tornar-se pequeno diante dele...
    Eu me perco na beleza dos mares... Lindo!
    Um abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem assim, Malu! Da mesma forma que você, me perco na beleza dos mares... Beijão!

      Excluir
  8. É magnífica a sensação de estar no litoral... A primeira vez então, nem se fala! Também gosto de movimento. Gosto do agito, dos jogos, da diversão, do clima, da alegria contagiante.
    Gosto de descansar sentindo a brisa marítima... Adoro também o fim de tarde maravilhoso, quando tudo está entrando em calmaria, dando boas-vindas à noite.
    Chamam o mar de traiçueiro. Mas é o humano que se deixa levar... O mar sempre será o que é. Nós é que temos que saber nossos limites... Já é ótimo aproveità-lo ali da beirada... Pra mim a sensação é única.

    Seu texto me deu saudades do litoral...
    Muito bom!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que meu texto te deixou com saudades do litoral, aproveita o fim de semana e pega uma prainha! rsrsrs Você já deve saber - e deve ter lido o último texto de Tais Luso - que nossas praias aqui no RS não servem pra cartão postal se comparadas as demais praias do Brasil... Mas pra quem gosta da sensação, litoral sempre é litoral, e sempre será encantador!

      Abraço pra você!

      Excluir
  9. Gostei muito do que vi !
    Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...

    http://bolgdoano.blogspot.com.br/

    Agradeço desde já !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda!!! Que bom que gostou do espaço, aproveite para retornar sempre.
      Quando postei seu recado, fiz também uma visita em seu espaço, embora não tenha tido tempo de comentar, retribuindo seu carinho aqui.

      Sempre bem-vinda, beijo!

      Excluir
  10. Ah, Suzy... você não descreve o mar em si, descreve a natureza como ela é! Aqui é de um jeito e mais acima, passando por Santa Catarina, é de outro. Seu texto até comove... Lembro de ter visto pessoas com 90 anos levadas ao litoral porque não queriam morrer sem ver o mar! E isso é lindo, os encontros com a natureza que idealizamos ou que nunca antes vimos. Ver essa imensidão, esse poder que o mar exerce não tem explicação, tanto faz ser azul ou marrom.
    Suas corridas na areia, o vento nos cabelos e a paz da tarde realmente é muito bom. Você curte o ambiente, o agito, e isso também gosto. São sensações que se diferem. Seu texto comove porque você se deixa fazer parte da natureza, você interage. Acredito que suas férias foram ótimas. E foi em Santa Catarina, pelo que sei... rsrs Aí... é demais, né amiga??

    Beijão. Nota 10!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tais, você acertou em cheio quando se referiu a imensidão e ao poder que o mar exerce... é isso, amiga! É esse o ponto do texto... E, sob esse ponto de vista, realmente tanto faz se é marrom ou azul. Por incrível que pareça, ano passado, um colega de turma foi levado por outros colegas nossos a conhecer o mar pela primeira vez! Sempre viveu no interior, teve outras prioridades na vida... Parecia uma criança diante da magia do momento, dizem os relatos. Isso é especial, é encantador!
      Sobre as férias em Santa Catarina, sou muito grata por esses vizinhos generosos que compartilham conosco seu litoral... Pelo menos uma vez no ano, a gente merece mar azulzinho, não é não? rsrsrsrs

      Excluir
  11. Suzy, minha linda, ando um pouco afastada da blogosfera (notou? rsrs), mas vim comentar essa crônica que fala de uma de minhas grandes paixões: O mar.

    Assim como vc, tenho um amor incondicional pelo mar... Incondicional por que tudo nele me fascina desde sempre! Não me lembro de quando fomos apresentados, era muito pequena. ‘Dar uma descidinha’ pela serra era algo corriqueiro na minha família, afinal, era apenas 1 horinha, ou menos. Naquele tempo, as praias daqui de SP eram... menos ruins rsrs.

    Diferente de vc, adoro estar em alto mar, com água por todos os lados, fazer mergulho, caminhar na praia ( correr, não, cadê o fôlego??? rs). Ficar estirada na areia fritando no sol tbm não faz minha cabeça. Nem minha pele permite. Até sem sol, meu filtro é fator 100 porque não existe o 1000 rsrs.

    Amoooo ecoturismo, praias desertas, intocáveis em meio à mata atlântica... Assim só temos no nordeste, e quase todo mês de outubro eu e o maridex fazemos essa aventura. É o mês perfeito, não chove e a temperatura é amena. Estamos sempre ‘garimpando’ novas praias que ainda não conhecemos, nunca vamos 2 vezes na mesma. Mas a dificuldade para se chegar... (exaustiva caminhada, atravessar o mangue, rapel em cachoeira)... está ficando cada vez mais difícil... Por que será, hem? rsrs. Mas sempre damos nosso jeitinho, pois não tem cansaço que tire a gratificação de estar diante da grandiosidade da criação de Deus!!

    Beleza de crônica!! Nem falarei mais do seu talento para escrever, hoje me foquei no charme da sua escrita. Maravilha!!!

    Bjão, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sueli, é claroooo que senti sua falta! Mas não reclamo, pois tenho fases nas quais a vida me rouba. e sumo um pouco da blogosfera também... Costumo dizer que são momentos nos quais estou vivendo para ter, posteriormente, o que contar por aqui! rsrsrs

      Não é de hoje que admiro sua energia e disposição, mas nada sabia sobre seu completo amor pelo mar! Que interessantes suas experiências com o ecoturismo, e o pique para desbravar esses lugares paradisíacos, ainda escondidinhos dos homens e de suas extravagâncias... Confesso que isso ainda é algo que está na minha lista "por fazer", talvez então eu me apaixone como você! Mas difícil será achar algo que você e seu maridex já não tenham descoberto, deixando sua bandeira fincada: estivemos aqui! rsrsrsrs

      Maravilha é ter você aqui, querida Sueli, não some por muito tempo não, tá!!!! rsrssr
      Beijos

      Excluir
  12. Suzy.
    eu sou uma eterna apaixonada pelo mar e suas palavras sempre me tocam profundamente.
    Beijos
    Denise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denise, já vi em seus posts o tamanho de seu amor pelo mar! Percebo em suas palavras além do encantamento, a compreensão da natureza como algo precioso e sagrado... Estou enganada? Obrigada por vir, um beijão!!!

      Excluir
  13. OI SUZY!
    QUE BOM TERES IDO ME VISITAR E ASSIM ME PROPORCIONAR VIR AQUI NOVAMENTE.
    NÓS HAVÍAMOS NOS PERDIDO UM POUQUINHO NÉ?
    MAS, É ASSIM MESMO AS VEZES SAÍMOS DE NOSSO CÍRCULO E DEIXAMOS ALGUNS AMIGOS PELO CAMINHO, FOI O QUE ACONTECEU CONOSCO POIS Á TEMPOS NÃO APARECIAS.
    QUANTO A TEU COMENTÁRIO, TAMBÉM SOU SANTAMARIENSE POR ADOÇÃO, FUI PARA LÁ COM 2 ANOS DE IDADE E SÓ SAÍ DEPOIS QUE CASEI E VIM PARA POA.
    LÁ AINDA TENHO PARENTES E AMIGOS QUE COM A GRAÇA DE DEUS NÃO FORAM ATINGIDOS.
    SE TEU TEXTO SOBRE O MAR FOSSE ESCRITO POR MIM, NÃO SERIA TÃO PARECIDO, TUDO COMO ACONTECEU COMIGO, SÓ FUI CONHECER O MAR DEPOIS DE VIR PARA PORTO, JÁ ADULTA.
    A MESMA INTIMIDADE QUE TENS COM ELE, TAMBÉM A TENHO, AMO-O TANTO QUE TENHO TAMBÉM UM RITUAL PARECIDO COM O TEU SÓ QUE O FAÇO NA BEIRA, MAS É ALGO QUE VEM DO MEU CORAÇÃO PORQUE ME EMOCIONO A CADA VEZ.
    CLARO QUE A GENTE DIVERGE NAS ATIVIDADES FÍSICAS, MAS, JÁ FUI COMO TU TAMBÉM,ATUALMENTE SOU MAIS DEVAGAR,MAS AINDA GOSTO DE DAR LONGAS CAMINHADAS A BEIRA MAR.
    ABRÇS E NÃO ESQUEÇA DE IR ME VISITAR.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani! É um prazer muito grande te visitar, sempre, pois tens uma capacidade de me sensibilizar com tuas palavras que nem imaginas!!! Fico mais impressionada ainda em saber que temos nossa amada e sofrida Santa Maria em comum, se me dizes que morou lá, já te sinto como uma vizinha querida! rsrsrs Por sinal, devo estar seguindo teus passos, pois fui para Santa Maria fazer a faculdade na UFSM, então me casei e também tomei os rumos de PoA... Somos vizinhas de novo! rsrsrs

      Que bom tê-la aqui, e saber que tua história se parece bastante com a minha... um grande beijo!

      Excluir
  14. Que beleza Suzy. Você me fez lembrar da época que ainda não conhecia o mar, o desejo de tê-lo diante dos olhos era realmente instigante e nosso primeiro encontro foi marcado por um belo "caldo", como dizem os banhistas quando a gente toma um pouquinho de água. (rsrs) mas também você me fez lembrar do hoje. O mar está logo ali depois do portão dos fundos e eu quase não o vejo, nem visito.

    Amor aquietado!?
    Vou tratar de "desaquietá-lo"

    Beijocas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O quê?! Você tem o mar nos fundos de casa e não o visita?! Pois trate de ir dar uma voltinha na praia agora mesmo, tem coisa mais gostosa? rsrsrs E o caldinho faz parte, é como um teste, uma prova de amor, não é assim? rsrsrs

      Obrigada por vir, beijos!!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...